Fuckers! (quem somos)

O PopPorn Festival é formado por uma forte e sexy equipe de organizadores. São eles, os FUCKERS:

Claus Matthes | Dilvania Santana | Gabriel Bittar | Herman Barck | Jürgen Brüning
Lucas Villar | Marcelo D’Avilla | Marina Pecoraro | May Medeiros | Mayume Maldita
Ruy Rufião | Sweetie Bird | Thiago Roberto | Tino Monetti |  Vera Vasques

< FUCKER 2015: Facundo Guerra >
< FUCKER 2016: GUSTAVO VINAGRE >

Em 2016, agradecemos imensamente aos nossos colaboradores, parceiros e amigos:

Caetano Veloso | Buck Angel | Christian Pettermann (in memoriam) | Vitor Angelo (in memoriam) | Chris Belloni | Figueroas | Caco Neves | Yair Hochner | Charles Lum | Todd Verow | Eliane Dias | Clara Nunes | Elvis Sousa | Daspu | Francisco De Nicolo | André MMartins | Iza Monteiro da Luz | Paula Lavigne | Ilda Santiago | Beatriz Berjeaut | Manuela Key | Ulrike Zimmermann | Fernanda Negrini | André Maleronka | Joëlle-Marie Declercq | Filipe Marques e muitos muitos outros.

 

Sobre a FUCKER idealizadora do PopPorn Festival, SUZY CAPÓ:

Suzy Capó foi jornalista e produtora cultural, a mulher que abriu os olhos da mídia e da indústria audiovisual brasileira para a temática da diversidade das manifestações da sexualidade, inserindo no país uma abordagem intelectual e criativa sobre temas até então tabus, como a homossexualidade e demais questões relacionadas aos gêneros e práticas sexuais.

Formada em jornalismo pela Universidade de Brasília com mestrado em Teoria de Cinema e Performance na New York University, seu pontapé inicial nessa seara aconteceu no início dos anos 1990, quando trabalhou na curadoria do The Kitchen, instituição cultural de NY com um dos mais importantes acervos de videoarte dos Estados Unidos.

Seu próximo passo foi como curadora convidada do Mix New York, que deu origem ao Festival Mix Brasil, evento do qual era co-fundadora. Foi ela que, em 1994, conceituou a sigla GLS, usada para descrever gays, lésbicas e simpatizantes, rapidamente adotada e disseminada em todo o país.

Depois de atuar como presidente da Associação Cultural Mix Brasil entre 2003 e 2007 e como diretora artística do evento até 2009, ela fundou, a Festival Filmes, distribuidora de filmes de nicho. E assim, Suzy Capó inovou mais um vez ao lançar o primeiro e único selo de distribuição de produções com temática LGBT no país.

A rica trajetória profissional de Suzy Capó traz uma vasta lista de ações, seja como curadora, jurada ou produtora de festivais de cinema no Brasil e no exterior, em que destacam-se: Queer Zagreb at Kino Europa; Hamburg Metropolis Kino; Mix Milano at Teatro Strehler di Milano; AluCine – Toronto Latin Media Festival; Q! Film Festival, em Jakarta e Bali; Festival Internacional de Cinema de Berlim; Mix Milano; Outfest Los Angeles; Llamale H Montevidéu; Frameline – San Francisco Int’l Lesbian & Gay Film Festival; Festival Internacional de Curtas-Metragens de SãoPaulo (Kinoforum); Festival Mix Brasil de Cinema da Diversidade Sexual; Porn Film Festival; Rio Internacional Film Festival.